Em crise, São Paulo antecipa concentração para pegar Ney Franco.

 

Uma das medidas tomadas pelo São Paulo para tentar sair da crise e vencer o Vitória, de Ney Franco, seu ex-técnico, foi de antecipar o regime de concentração dos jogadores. Normalmente, isso ocorre na vésperas dos jogos, mas, pela primeira vez sob o comando de Muricy Ramalho, terá início dois dias antes. Portanto, os relacionados para o duelo vão se apresentar no CT da Barra Funda na noite desta quinta-feira, às 22h.

O São Paulo não divulgou se a mudança foi uma ordem do presidente Juvenal Juvêncio ou se foi opção do técnico Muricy Ramalho. Fato é que pegou os jogadores de surpresa, como afirmou o zagueiro Antônio Carlos.

- Pegou de surpresa, não sabíamos. Mas somos funcionários do clube. Não é castigo. Nesse momento é difícil ficar longe da família, mas está faltando dois meses para acabar o campeonato e ajuda será bem-vinda - analisou o camisa 4, que retornará ao time após cumprir suspensão diante do Santos.

Desde quando dirigia o Santos, Muricy mantém um discurso de que pretende diminuir ao máximo a concentração dos jogadores. Ele, inclusive, já defendeu o fim do regime, algo como acontece na Europa. Até por isso, a decisão do São Paulo chamou atenção.

A equipe foi goleada pelo Santos na última quarta-feira, por 3 a 0, na Vila Belmiro, e agora reencontra o técnico que foi massacrado durante o período que dirigiu o time do Morumbi. Ney Franco, no entanto, está em boa fase, e seu Vitória ocupa a 5ª colocação, enquanto o São Paulo é o 16º e ainda pode ser ultrapassado pelo Vasco, que enfrenta o Internacional, nesta quinta-feira, em Macaé. Se isso acontecer, o Tricolor estará de volta à zona do rebaixamento.